Página Inicial  | Biografia  |  Fotos  |  Arquivo de Notícias  |  Pronunciamentos  |  Contato  |  Links  |  Youtube

   
            
   
 
17/07/2017
A reforma nem esfriou e a demissão em massa já começou A reforma nem esfriou e a demissão em massa já começou

DUSEK

Por Chico Vijilante
Fonte: Brasil 247

Eu sempre disse que a intenção da reforma pretendida pelo governo do golpista Temer era precarizar a legislação trabalhista para explorar ainda mais os trabalhadores.

Pois bem, ainda bem ela não esfriou naquele Congresso de corruptos, e o que eu disse se concretiza: milhares de trabalhadores sendo demitidos de bancos, do Correio, da Petrobras, da Eletrobrás entre outras, para em seu lugar colocarem horistas, do recém aprovado "trabalho intermitente".

Para a satisfação do mercado o Bradesco anunciou dia 13/07 seu Plano de Demissão Voluntária. Os Correios seguem no mesmo caminho e afirmam esperar a adesão de 8.200 empregados.

A Petrobras abriu seu programa de demissão voluntária para 12 mil trabalhadores. A Conab, seguindo a rota do golpe, espera demitr 25% de seu quadro de pessoal. A Eletrobrás e suas controladas pretende degolar 4,6 mil funcionários.

Isso tudo são apenas alguns exemplos na primeiríssima semana após o golpe da reforma trabalhista, de Ali Baba e seus 40 Ladrões.

A hora da infâmia contra o trabalhador chegou e tem o gosto amargo de fel. Os trabalhadores serão semi-escravos, objetos com o intuito único de aumentar o lucro dos patrões, muitos deles subjugados pelo capital internacional.

Essa mudança, ao contrário do que prometem, não vai gerar um emprego novo, sequer. Por mais que a mídia entreguista repita isso diariamente, todos sabemos que é mentira.

A situação à qual levarão o país, um dia vai gerar caos social e se os movimentos sociais e a sociedade em geral se unirem em torno de bandeiras progressistas comuns chegaremos a uma verdadeira revolução.

Hoje eles são os caçadores de direitos, mas um dia é dia da caça outro do caçador. Dia virá em esses traidores da pátria serão a caça e punidos em praça pública, assim como as elites deste país faziam com seus escravos.

Os golpistas serão julgados por todos os males que estão causando à sociedade brasileira e só lhes restará a sarjeta da história, para a vergonha de seus filhos e netos. 


De volta à senzala



Por Chico Vijilante
Fonte: Brasil 247

Feita sob medida para os maus empregadores, criada para precarizar, completamente, as relações de trabalho, no Brasil. Essa é a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso Nacional, o mais violento ataque desferido contra trabalhadores e trabalhadoras desde a promulgação da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, quando a escravidão foi encerrada, formalmente, no País.

Entrevistado pela Folha de S.Paulo, Ronaldo Curado Fleury, procurador-geral do trabalho, vai além: "O Brasil ainda tem uma cultura escravocrata. Fomos um dos últimos países a abolir a escravidão e até hoje a escravidão é uma realidade. Mesmo nos grandes centros, nas grandes empresas, a mentalidade é escravocrata", afirma.

Fleury enxergar no conjunto de normas da tal reforma a institucionalização das fraudes trabalhistas em nome de uma quimera impossível, a de que a destruição da legislação trabalhista poderá gerar emprego. Não vai.

Essas reformas, feitas sob encomenda para um governo golpista e ilegítimo, jamais vão gerar emprego. Mesmo que as penas alugadas fiquem repetindo na mídia essa mentira, todo dia, o dia todo, como papagaios amestrados.

Como diz Ronaldo Fleury, o que está se criando são estruturas legais para justificar um retrocesso terrível.


Delação de Cunha dirá que votos do impeachment foram comprados. E o STF?

loveisforever

Fonte: Tjolaço Disse o Ricardo Noblat que parte da delação premiada de Cunha já foi aceita: a que conta quem foram os deputados – a maioria do PMDB – que receberam dinheiro para votar pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Cunha não se limitou a dar os nomes – a maioria deles do PMDB. Citou as fontes pagadoras e implicou o presidente Michel Temer. Reconheceu que ele mesmo em alguns casos atuou para que os pagamentos fossem feitos.

Então ficamos assim: Michel Temer, cuja ascensão ao governo foi comprada, fica no poder mais algum tempo, até que caia por outras bandalheiras, se os seus companheiro de bandalheira deixarem que caia.

Se cair, entra seu companheiro de bandalheira, eleito presidente da Câmara pelos companheiros de bandalheira que, segundo o super-bandalho Cunha, foram comprados para colocar Temer no Governo anulando o voto popular.

Se a elite brasileira perdeu a vergonha completamente diante do seu povo – a quem considera um estorvo indolente – ao menos pense no vexame internacional que este  país passa, solenemente ignorado em qualquer foro sério e, de fora, só atraindo  os negócios “espertos”, que eram da China e, agora, são de todos (até da China!) “negócios da china no Brasil”.

Fico pensando nos nossos puros, castos, doutos e moralíssimos juízes, especialmente os empavonados do Supremo.

Se compararmos bem, o Brasil vive a mesma situação que seria aquela em que a Justiça determinasse o pagamento do seguro de vida dos pais assassinados àquela Suzane Richthopfen.

Mas está tudo bem: Lula foi condenado e Bolsonaro sobe nas pesquisas.






 
 
 





 

Inicial  | Biografia  |  Fotos  |  Notícias  |  Discursos  |  Contato  |  Links  |  Youtube